sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Sistema "Tilt Up"

Paredes totalmente feitas no chão, na mais completa horizontalidade. Por que não? Foi pensando nisso que americanos e canadenses criaram a tecnologia de tilt-up, como diz o próprio nome, que literalmente significa “Inclinar para cima”, para erguer as paredes dos galpões de suas fábricas. Vantagens evidentes: rapidez, facilidade de  trabalho, segurança. Feita a parede no chão, era só executar o tilt-upo movimento que equivale, por exemplo, ao de levantar uma carta de baralho deitada sobre a mesa e colocá-la na vertical.
Embora os cálculos estruturais sejam mais complexos do que nas construções convencionais, uma vez que se deve considerar o processo de içamento dos painéis e seu ajuste sobre as fundações, a execução é bastante simples.
  Conhecida há pelo menos sessenta anos - e aplicada numa escala que ronda os 15% das construções industriais em território norte-americano - a tecnologia do tilt-up vai conquistando seus espaços no Brasil. No princípio, esse era o terreno exclusivo da construtora Walter Torre Jr. Mais recentemente, a Dall'Acqua Engenharia entrou no negócio, em parceria com a americana Con Steel. E já se fala em diversificação ainda maior dos concorrentes, com a possível entrada de novos interessados nesse mercado promissor.
Tilt-up é o sistema construtivo mais amplamente utilizado entre os pré-moldados na América do Norte, chegando a 15 % do total das obras industriais. Esse sistema de pré-moldado é feito a partir de concreto no local da obra. Após nivelar o piso a laser, são moldadas asparedes em concreto em formas horizontais com qualquer desenho de estrutura ou texturas. Podem ser incorporados vãos para portas e janelas e ainda é possível adicionar detalhes técnicos de acabamento. Quando atingem a resistência necessária, as estruturas são içadas por guindastes e colocadas nos blocos das fundações.
No Brasil, essa tecnologia foi importada pela construtora Walter Torres Jr. no ano de 1993, diretamente dos EUA. Essa técnica ainda precisa ser mais bem difundida para ser empregada em escala industrial e, atualmente, apenas cinco construtoras empregam esse método de construção. O sistema apresenta muitas vantagens, entre elas está a grande economia de materiais e mão de obra, além do tempo reduzido de construção.



Esse método de construção surgiu e 1906, nos EUA. Seu nome tem origem na palavra inclinar que em inglês é “tilt”. Ao levantar as paredes pré-moldadas, em concreto armado, é necessário içá-las com a ajuda de guindastes, que a partir da base da construção – piso – levam as paredes pré-moldadas até o seu local definitivo no canteiro de obras. Esse processo todo que é chamado de Tilt-up, e que compreende da fase de concretagem até o levantamento das paredes, tem em média a duração de quatro a cinco semanas. 





 

 Racionalização construtiva


As construções em Tilt-up são racionalizadas e proporcionam mais qualidade e agilidade às edificações. Nesse sistema, as paredes são pré-moldadas in loco, a partir de uma base de concreto sobre um piso industrial, que é polido e nivelado a laser. Depois de atingir a resistência necessária, os painéis Tilt-up são alçados até sua posição e escorados.
Após a conclusão da montagem da estrutura, é feito o travamento da porção superior dos painéis. Com isso, são removidas as escoras da fase de montagem.
Esse sistema é totalmente executado no canteiro de obras e emprega a mão de obra local. Daí, não há a incidência de ICMS, IPI ou quaisquer outros custos envolvidos, como, por exemplo, transporte. Isso torna o sistema Tilt-up bastante competitivo, ao ser comparado a outros sistemas pré-fabricados.


Vantagens


• Baixo custo;
• Baixa manutenção;
• Durabilidade;

• Segurança;
• Baixo custo dos seguros; e
• Velocidade na construção.




Francisco Oggi é consultor e especialista em sistema construtivo Tilt-up no Brasil. Ele destaca as características dos pré-moldados: “as vantagens são inúmeras e, depois de um século de existência, a construção com pré-moldados é altamente competitiva e certas obras seriam impossíveis de serem executadas se não fosse o pré-moldado”, enfatiza Oggi.


 


 O consultor destaca que o sistema é indicado para quaisquer tipologias, não há restrição técnica de uso, no entanto, é preciso apenas avaliar as condições e especificações de cada projeto. Atualmente, podem ser construídos prédios de até 30 andares. Mas, a tecnologia de paredes de concreto dosado em central não para por aí. Novidades são criadas diariamente. E nos Estados Unidos existe uma associação responsável pelo desenvolvimento e divulgação do sistema Tilt-up, é a Tilt-Up Concrete Association (TCA).
 Ele também destaca que a evolução dos materiais e processos de produção em Tilt-up. “A tendência é utilizar concretos cada vez mais resistentes e permitir a produção de peças cada vez mais esbeltas, propiciando edificações mais arrojadas e esteticamente mais agradáveis e mais duráveis também”, finaliza.
 
  Dicas de execução:



1- O piso de concreto deve ter entre 12 cm e 15 cm;
2- O pavimento deve ser nivelado a laser e resistir à flexão, compressão e abrasão, bem como apresentar planicidade e acabamento final liso;
3- Quando não for possível escorar por dentro, deve-se prever fundação provisória ou bloco de concreto para o apoio das escoras;
4- As escoras devem formar um ângulo entre 45º e 60º com o piso e ter medir cerca de 60% da altura da placa;
5- Correções de prumo podem ser feitas na rosca sem-fim da escora;
6- Um calço provisório na fundação garante o ajuste de nivelamento da placa;
7- Para o dimensionamento das placas, devem-se levar em conta as cargas verticais (o próprio peso no momento do içamento e as cargas de lajes e coberturas), cargas horizontais (ação do vento durante a montagem e depois de pronta) e a flexão no plano do painel, devido à interferência do contraventamento;
8- Na ausência de espaço para o processo de moldagem de todos os painéis, os painéis prontos podem ser empilhados até que sejam posicionados no local definitivo.



                 
 Um destaque entre as diversas vantagens oferecidas pelo uso do “Tilt-up” é a segurança, pois como a grande parte do trabalho é feita no chão quase não há a necessidade de trabalhar-se em grandes alturas, reduzindo o risco de acidentes. Outros benefícios evidentes são também a redução nos custos e no tempo de obra. O tempo de obra é bem menor devido à possibilidade de realizar-se concomitantemente a fabricação dos diversos painéis que constituirão a obra, já a redução de gastos deve-se à possibilidade de melhor gerenciamento e otimização do processo, contribui também o fato de que quase não há custos relativos ao transporte como nos pré-moldados tradicionais.
 


A facilidade de modificação das construções “Tilt-up” também é um grande atrativo. É muito simples deslocar painéis e abrir novos vãos para portas e janelas por meio do corte do painel, sem demolições ou remendos. Outra característica atrativa deste processo é o fato de não haver praticamente nenhuma restrição arquitetônica possibilitando sua aplicação em qualquer tipo de construção, exceto apenas prédios muito altos.




             

Inicialmente o sistema era voltado quase que exclusivamente para a construção de galpões industriais, cuja construção precisava ser concluída no prazo estipulado e com o menor desperdício possível. Contudo, hoje o “Tilt-up” vem adquirindo uma aplicação bem mais ampla. Nos Estados Unidos, a taxa de crescimento da indústria “Tilt-up” é de 20% ao ano, já tendo ultrapassado a média anual de 60 milhões de m², em 12.000 edifícios. No Brasil já são mais de 2 milhões de m² construídos por esta técnica, mas ainda assim o número de empresas especializadas na área é muito pequeno. Ainda assim, este método construtivo extremamente dinâmico e facilmente aplicável em diversas áreas do setor promete conquistar o mercado brasileiro.


Hotel construído no sitema Tilt Up nos Estados Unidos

Fontes: 
http://www.cimentoitambe.com.br/massa-cinzenta/tilt-up-e-suas-multiplas-vantagens/
http://www.blogdopetcivil.com/tag/tilt-up/





Nenhum comentário:

Postar um comentário