sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Home Office




É muito importante ter um home office bem planejado e decorado, que atenda as necessidades de quem deseja trabalhar em casa!! 








Trabalhar em casa é o sonho de muitas pessoas.
Mas para que a possibilidade dê 
certo, é importante ter um home office  bem planejado e decorado, que atenda as suas necessidades.
Quando não se tem espaço para montar o home office, a criatividade entra em ação.
É muito importante ter um home office bem planejado e decorado, que atenda as necessidades de quem deseja trabalhar em casa!!





Para evitar erros, primeiro pense no conforto. As cadeiras e mesas podem e devem ser bonitas, mas o fundamental é que permitam que seus pés fiquem apoiados no chão e o antebraço na mesa, mantendo a coluna reta ao formar um ângulo de 90° com o quadril. A iluminação deve ser direta para facilitar a leitura.









Nichos, gavetas e prateleiras são bem-vindos, porque facilitam a organização e proporcionam praticidade. Não hesite na hora de dar a sua cara ao local. Distribua com moderação itens de que gosta, como quadros, discos, fotos, esculturas. Clique nas fotos e inspire-se nesses ambientes decorados por nossa equipe de profissionais. Para evitar erros, primeiro pense no conforto. As cadeiras e mesas podem e devem ser bonitas, mas o fundamental é que permitam que seus pés fiquem apoiados no chão e o antebraço na mesa, mantendo a coluna reta ao formar um ângulo de 90° com o quadril. A iluminação deve ser direta para facilitar a leitura.



   
 Com a internet rapida e as conexões sem fio, trabalhar em casa ficou muito mais fácil. Mas para usufruir desse conforto é necessário ter um espaço adequado.  


 Trabalhar em casa é a solução dos problemas de muita gente, e às vezes pode ser até a única opção. Para que o seu ambiente seja funcional, organizado e bem decorado, mostramos aqui alguns de nossos projetos em busca de boas soluções para os cantos de trabalho. Além de apresentar ideias criativas, algumas delas podem ser utilizadas até mesmo nos espaços corporativos de sua empresa, para quem não trabalha em casa. 




Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br
            http://casa.abril.com.br

Imagens: Studio XXI Arquitetura e Engenharia




domingo, 12 de agosto de 2012

Pequenos Jardins



Nos dias de hoje, os ambientes estão cada vez menores. Mas sem dúvida nenhuma, as plantas trazem vida e alegram qualquer local. Que tal algumas dicas de como cultivá-las em pequenos espaços?  
Sabemos que como seres vivos, as plantas necessitam de cuidados para crescerem, florescerem e frutificarem. Assim, além de ter um solo fértil, necessitam de um mínimo de ventilação, luminosidade, rega, adubação, poda e controle de pragas.




                      
Criar composições e valorizar pontos focais cria um jardim interessante e confere destaque à residência.   



Cuidados Necessários

Para que uma planta cresça viçosa, dois cuidados são imprescindíveis: a terra e a drenagem. O melhor é usar terra adubada que vem pronta para ser usada, pois a vegetal pura geralmente forma torrões ou empedra. Para a drenagem, além da argila expandida no fundo do vaso, deve-se colocar uma manta de bidim sobre a argila, retendo, desta maneira, a terra nas raízes das plantas (bidim é uma manta de poliéster que separa a terra da argila, facilitando o escoamento da água). Essa manta é vendida em lojas do ramo. Recomenda-se adubar logo após o plantio, pois a terra nova já vem fertilizada, e repetir a partir do segundo mês. Já a poda deve ser feita quando a planta estiver dando flores ou frutos .


Forrações criam desenhos interessantes (rabo-de-gato combinado com diferentes gramas).


Para que se tenha sucesso na escolha de uma planta, é bom consultar um paisagista que lhe dirá qual a melhor espécie, bem como o melhor espaço ou ambiente para ela. Ele poderá fazer um projeto completo montando um croqui com a descrição das plantas a serem compradas e os materiais que as acompanham, como vasos, cachepôs, instrumentos (regador, tesoura, garfo, pá), etc. O custo do projeto e o de sua execução irão depender do tipo e do porte das plantas, estilo e tamanho do jardim. 


 Quando se conhece a planta adquirida, fica mais fácil o trato da mesma. Algumas precisam mais de sol e vento enquanto outras preferem locais mais sombrios. As plantas de interiores com o tempo tendem a definhar por falta de luz. Por isso, recomenda-se de vez em quando, colocá-las fora de casa, no sol ou trocá-las por outras plantas.

via verde Paisagismo-Campinas-SP


 Sugestões de espécies para: jardins externos, varandas e terraços


1-Azaléia: resiste bem ao sol direto, sua floração ocorre no inverno. É uma planta resistente
2-Buxinho e forrações: ideal para criar formas, como mostrado na imagem acima. É uma planta resistente.
3-Rabo de gato: ideal para forrações, como na imagem do jardim apresentado acima
4-Alecrim: além de ornamental, pode ser usado na culinária
5-Crisântemo
6-Margarida
7-Tagetes: após sua floração, que é exuberante, tende a definhar
8-Copo de Leite rosa claro: prefere locais sombreados e úmidos (mas bem drenados)
9-Copo de Leite amarelo: prefere locais sombreados e úmidos (mas bem drenados)
10-Caladium bronze: prefere locais sombreados e úmidos
11-Orelha de Elefante: prefere locais sombreados e úmidos
12-Dietes Bicolor: chega a 70cm de altura e é perfeita para compor com muros/grades, formando linhas
13-Moraea: semelhante à Dietes Bicolor, distingue-se pela cor da flor
14-Caladium branco: prefere locais sombreados e úmidos
15-Dahlia amarela: em regiões quentes, produzirá flores quase o ano todo
16-Dahlia pompom vermelha: em regiões quentes, produzirá flores quase o ano todo
17-Agapanto azul: muito utilizada em praças, é ótima para jardins com um pouco mais de espaço. Forma grandes touceiras e precisa de sol direto
18-Agapanto branco: muito utilizada em praças, é ótima para jardins com um pouco mais de espaço. Forma grandes touceiras e precisa de sol direto
19-Strelitzia reginae, ou flor do paraíso: precisa de um jardim maior. Produz flores exuberantes.




Sugestões de espécies para: dentro de casa, terraços fechados ou jardins com sombra

1-Palmeira Areca
2-Pata-de-elefante
3-Bromélia
4-Comigo-ninguém-pode
5-Falsa cebola do Mar
6-Trevo de Quatro Folhas: ótimo para vasos e canteiros
7-Sansevieria
8-Bambu chinês da sorte: é uma planta de interior e não deve ser exposta ao sol diretamente
9-Dracena
10-Lírio da paz
11-Avenca
12-Samambaia
13-Mini Amarillis: pode ser plantada em vasos e jardins
14-Amarillis Branca: pode ser plantada em vasos e jardins
15-Freesia Perfumada
16-Rosa do Deserto: lembra um bonsai
17-Orquídea
18-Caladium Multicolor




 




Fonte: http://www.cliquearquitetura.com.br



sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Sistema "Tilt Up"

Paredes totalmente feitas no chão, na mais completa horizontalidade. Por que não? Foi pensando nisso que americanos e canadenses criaram a tecnologia de tilt-up, como diz o próprio nome, que literalmente significa “Inclinar para cima”, para erguer as paredes dos galpões de suas fábricas. Vantagens evidentes: rapidez, facilidade de  trabalho, segurança. Feita a parede no chão, era só executar o tilt-upo movimento que equivale, por exemplo, ao de levantar uma carta de baralho deitada sobre a mesa e colocá-la na vertical.
Embora os cálculos estruturais sejam mais complexos do que nas construções convencionais, uma vez que se deve considerar o processo de içamento dos painéis e seu ajuste sobre as fundações, a execução é bastante simples.
  Conhecida há pelo menos sessenta anos - e aplicada numa escala que ronda os 15% das construções industriais em território norte-americano - a tecnologia do tilt-up vai conquistando seus espaços no Brasil. No princípio, esse era o terreno exclusivo da construtora Walter Torre Jr. Mais recentemente, a Dall'Acqua Engenharia entrou no negócio, em parceria com a americana Con Steel. E já se fala em diversificação ainda maior dos concorrentes, com a possível entrada de novos interessados nesse mercado promissor.
Tilt-up é o sistema construtivo mais amplamente utilizado entre os pré-moldados na América do Norte, chegando a 15 % do total das obras industriais. Esse sistema de pré-moldado é feito a partir de concreto no local da obra. Após nivelar o piso a laser, são moldadas asparedes em concreto em formas horizontais com qualquer desenho de estrutura ou texturas. Podem ser incorporados vãos para portas e janelas e ainda é possível adicionar detalhes técnicos de acabamento. Quando atingem a resistência necessária, as estruturas são içadas por guindastes e colocadas nos blocos das fundações.
No Brasil, essa tecnologia foi importada pela construtora Walter Torres Jr. no ano de 1993, diretamente dos EUA. Essa técnica ainda precisa ser mais bem difundida para ser empregada em escala industrial e, atualmente, apenas cinco construtoras empregam esse método de construção. O sistema apresenta muitas vantagens, entre elas está a grande economia de materiais e mão de obra, além do tempo reduzido de construção.



Esse método de construção surgiu e 1906, nos EUA. Seu nome tem origem na palavra inclinar que em inglês é “tilt”. Ao levantar as paredes pré-moldadas, em concreto armado, é necessário içá-las com a ajuda de guindastes, que a partir da base da construção – piso – levam as paredes pré-moldadas até o seu local definitivo no canteiro de obras. Esse processo todo que é chamado de Tilt-up, e que compreende da fase de concretagem até o levantamento das paredes, tem em média a duração de quatro a cinco semanas. 





 

 Racionalização construtiva


As construções em Tilt-up são racionalizadas e proporcionam mais qualidade e agilidade às edificações. Nesse sistema, as paredes são pré-moldadas in loco, a partir de uma base de concreto sobre um piso industrial, que é polido e nivelado a laser. Depois de atingir a resistência necessária, os painéis Tilt-up são alçados até sua posição e escorados.
Após a conclusão da montagem da estrutura, é feito o travamento da porção superior dos painéis. Com isso, são removidas as escoras da fase de montagem.
Esse sistema é totalmente executado no canteiro de obras e emprega a mão de obra local. Daí, não há a incidência de ICMS, IPI ou quaisquer outros custos envolvidos, como, por exemplo, transporte. Isso torna o sistema Tilt-up bastante competitivo, ao ser comparado a outros sistemas pré-fabricados.


Vantagens


• Baixo custo;
• Baixa manutenção;
• Durabilidade;

• Segurança;
• Baixo custo dos seguros; e
• Velocidade na construção.




Francisco Oggi é consultor e especialista em sistema construtivo Tilt-up no Brasil. Ele destaca as características dos pré-moldados: “as vantagens são inúmeras e, depois de um século de existência, a construção com pré-moldados é altamente competitiva e certas obras seriam impossíveis de serem executadas se não fosse o pré-moldado”, enfatiza Oggi.


 


 O consultor destaca que o sistema é indicado para quaisquer tipologias, não há restrição técnica de uso, no entanto, é preciso apenas avaliar as condições e especificações de cada projeto. Atualmente, podem ser construídos prédios de até 30 andares. Mas, a tecnologia de paredes de concreto dosado em central não para por aí. Novidades são criadas diariamente. E nos Estados Unidos existe uma associação responsável pelo desenvolvimento e divulgação do sistema Tilt-up, é a Tilt-Up Concrete Association (TCA).
 Ele também destaca que a evolução dos materiais e processos de produção em Tilt-up. “A tendência é utilizar concretos cada vez mais resistentes e permitir a produção de peças cada vez mais esbeltas, propiciando edificações mais arrojadas e esteticamente mais agradáveis e mais duráveis também”, finaliza.
 
  Dicas de execução:



1- O piso de concreto deve ter entre 12 cm e 15 cm;
2- O pavimento deve ser nivelado a laser e resistir à flexão, compressão e abrasão, bem como apresentar planicidade e acabamento final liso;
3- Quando não for possível escorar por dentro, deve-se prever fundação provisória ou bloco de concreto para o apoio das escoras;
4- As escoras devem formar um ângulo entre 45º e 60º com o piso e ter medir cerca de 60% da altura da placa;
5- Correções de prumo podem ser feitas na rosca sem-fim da escora;
6- Um calço provisório na fundação garante o ajuste de nivelamento da placa;
7- Para o dimensionamento das placas, devem-se levar em conta as cargas verticais (o próprio peso no momento do içamento e as cargas de lajes e coberturas), cargas horizontais (ação do vento durante a montagem e depois de pronta) e a flexão no plano do painel, devido à interferência do contraventamento;
8- Na ausência de espaço para o processo de moldagem de todos os painéis, os painéis prontos podem ser empilhados até que sejam posicionados no local definitivo.



                 
 Um destaque entre as diversas vantagens oferecidas pelo uso do “Tilt-up” é a segurança, pois como a grande parte do trabalho é feita no chão quase não há a necessidade de trabalhar-se em grandes alturas, reduzindo o risco de acidentes. Outros benefícios evidentes são também a redução nos custos e no tempo de obra. O tempo de obra é bem menor devido à possibilidade de realizar-se concomitantemente a fabricação dos diversos painéis que constituirão a obra, já a redução de gastos deve-se à possibilidade de melhor gerenciamento e otimização do processo, contribui também o fato de que quase não há custos relativos ao transporte como nos pré-moldados tradicionais.
 


A facilidade de modificação das construções “Tilt-up” também é um grande atrativo. É muito simples deslocar painéis e abrir novos vãos para portas e janelas por meio do corte do painel, sem demolições ou remendos. Outra característica atrativa deste processo é o fato de não haver praticamente nenhuma restrição arquitetônica possibilitando sua aplicação em qualquer tipo de construção, exceto apenas prédios muito altos.




             

Inicialmente o sistema era voltado quase que exclusivamente para a construção de galpões industriais, cuja construção precisava ser concluída no prazo estipulado e com o menor desperdício possível. Contudo, hoje o “Tilt-up” vem adquirindo uma aplicação bem mais ampla. Nos Estados Unidos, a taxa de crescimento da indústria “Tilt-up” é de 20% ao ano, já tendo ultrapassado a média anual de 60 milhões de m², em 12.000 edifícios. No Brasil já são mais de 2 milhões de m² construídos por esta técnica, mas ainda assim o número de empresas especializadas na área é muito pequeno. Ainda assim, este método construtivo extremamente dinâmico e facilmente aplicável em diversas áreas do setor promete conquistar o mercado brasileiro.


Hotel construído no sitema Tilt Up nos Estados Unidos

Fontes: 
http://www.cimentoitambe.com.br/massa-cinzenta/tilt-up-e-suas-multiplas-vantagens/
http://www.blogdopetcivil.com/tag/tilt-up/





quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Tijolos ecológicos: mais verdes e mais econômicos


Foi na década de 1940 que se desenvolveu a tecnologia da fabricação de tijolos ecológicos. No Brasil, somente depois da década de 1970 é que se passou a produzir tijolos de baixo custo utilizando processos de fabricação menos agressivos ao meio ambiente.


Os tijolos ecológicos são assim chamados por permitirem o uso de areia, resíduos de usinas siderúrgicas e petroquímicas que, através do emprego de cimento e água, geram peças padronizadas e altamente resistentes. Por não usar o barro vermelho (matéria-prima tradicional dos tijolos convencionais), evita-se também a degradação do meio ambiente causada por sua extração. A grande vantagem logística destes tijolos é que podem ser fabricados e armazenados na própria obra.



Outra vantagem referente à questão ecológica é que o processo de produção dos tijolos não necessita de fornos. Este fato gera grande economia energética e evita que muitas florestas sejam destruídas para a obtenção da lenha. Os tijolos ecológicos, ou tijolos de solo cimento como também são conhecidos, servem para todos os padrões sociais e vem sendo cada vez mais difundidos. Mas as vantagens não são apenas para o meio ambiente, são também para o conforto, para a estética e o mais interessante, para o bolso.


 Segundo estudos realizados em todo o Brasil, o sistema construtivo dos tijolos ecológicos traz para a obra, de 20 até 40% de economia com relação ao sistema construtivo convencional. Um dos motivos é que não há desperdício, como neste último.







Já existem várias iniciativas que ressaltam a importância da nova tecnologia. No Mato Grosso, por exemplo, a ferramenta está sendo usada para a construção de escolas de toda a rede estadual indígena.  Em Campinas, no interior de São Paulo, um colégio desenvolveu um programa de construção de uma casa ecológica com base nos novos tijolos para ensinar práticas sustentáveis aos alunos. 




  Economia


Além de limpas, obras com tijolo ecológico reduzem o custo de cimento para reboco e assentamento, tinta, ferragens, areia e madeira para formas de colunas e vigas. Mas a grande economia é a redução do custo de mão de obra, o sistema de encaixe dos tijolos agiliza o trabalho e as paredes são levantadas em média 3 vezes mais rápidas que tijolos assentados com massa.Econômica, estrutural, ecológica e aconchegante são os principais atributos de quem constrói casas com tijolo ecológico. Essas qualidades despertam a atenção de construtores.



 Estrutura

Tijolo ecológico em ensaios de laboratórios atingem em média 2 vezes mais resistência em testes de compressão em relação ao tijolo convencional, são termo-acústicos, reduzem ruídos externos, permitem a convecção natural do ar quente pelos furos que proporcionam uma temperatura agradável no interior da casa, redes elétricas e hidráulicas são implantadas facilmente no sistema modular de furos.

  Ecologia

 A procura por materiais sustentáveis na construção é fruto de um excelente trabalho de ambientalistas em despertar a consciência ecológica em construtores e arquitetos. Esse trabalho bem fundamentado motiva pessoas conscientes a construir com tijolo ecológico entre outros materiais que reduzem a agressão ao meio ambiente. Diversos projetos sociais e acadêmicos com essa iniciativa já foram premiados e a Vimaq Prensas acredita e apóia essas ações.



Aconchego

 É fácil perceber o fantástico padrão de beleza das casas de tijolo ecológico a vista, basta dar uma volta em uma cidade ou uma folheada em revistas de construções que podemos encontrar casas lindas e aconchegantes criadas por excelentes arquitetos
.



A construção com tijolos ecológicos e suas vantagens.


1-Economia do custo final em até 30% da parede de tijolo ecológico em relação ao uso de tijolo 6 furos;

2- Diminui o tempo de construção em até 50% com relação à alvenaria convencional, devido aos encaixes que favorecem o alinhamento e prumo da parede;
3- Estrutura -   As colunas são embutidas em seus furos, distribuindo melhor a carga de peso sobre as paredes, criando uma estrutura muito mais segura!
4- Economia de até 100% no uso de madeiras nas caixarias dos pilares, vergas e contra-vergas;
5- Economia de até 100% da massa de assentamento, (os tijolos ecológicos  possuem encaixe perfeito e não necessita massa de assentamento);
6- Economia de até 50% de ferro;
Os Tijolos Ecológicos são curados com água e sombra, diferente dos tijolos convencionais que dependem da queima de milhares de lenhas em fornos, contribuindo demasiadamente com o aquecimento global e com desmatamentos;
7- Durabilidade maior do que o tijolo comum, pois chega a ser até 6 x mais resistente;
8- Alivia o peso sobre a fundação evitando gastos desnecessários com  estacas mais profundas e sapatas maiores;
9- Fácil acabamento. Se preferir não precisa rebocar e pintar, economizando mais ainda. 10 -Os Tijolos Ecológicos já possuem um lindo acabamento, semelhante aos tijolos aparentes, necessitando o uso de apenas um impermeabilizante a base de silicone ou acrílico, e rejunte flexível;
11- Revestimento é simples usando-se direto sobre tijolo apenas uma fina camada (2 a 3 mm) de reboco, textura, gesso ou graffiato;
12- O assentamento dos azulejos é feito direto sobre os tijolos;
13- Obra mais limpa e sem entulhos;
14- Acústica Como o tijolo ecológico possui dois furos, as paredes formam um isolamento acústico, diminuindo os ruídos provocados na rua para o interior da casa;
15-Isolamento Térmico (calor) – Os furos dos tijolos são importantes, pois formam câmaras térmicas evitando com isso que o calor que esta do lado de fora penetre no interior da residência. Com isso a temperatura interna é inferior à externa;
16- Isolamento Térmico (frio) – Com o Frio acontece ao contrario, pois a temperatura da casa fica mais quente do que a externa;
17- Proteção de Umidade - Esses furos também propiciam a evaporação do ar, evitando com isso, a formação de umidade nas paredes e interior da construção, que causa danos à saúde e danos materiais;
18- Instalações Hidráulicas - Toda a tubulação é embutida em seus furos dispensando a quebra de paredes, como na alvenaria convencional;
19- Instalações Elétricas - Como as instalações hidráulicas, também são embutidas nos furos, dispensando conduítes e caixas de luz, podendo os interruptores e tomadas serem fixados, diretamente sobre os tijolos;
20- A praticidade desde tijolo fará sua obra ser muito mais rápida.







Fontes:
http://blog.naturaekos.com.br-ecologicos-mais-verdes-e-mais-economicos/
http://showdecasa.wordpress.com/2010/03/29/construção-tijolo-ecologico/
http://www.dicico.com.br/blog/?p=1794
http://www.vimaqprensas.com.br/casa-de-tijolo-ecologico-em-caraguatatuba-sp/
http://www.sebrae.com.br/setor/construção-civil/acesse/ideias-de-negocios/
http://plantaseprojetosdecasas.spaceblog.com.br/376697/
http://paoecologia.worpress.com
http://hidroshow.blogspot.com.br
http://dfeentorno.com.br
http://www.tijoloecologicoacropole.com.br